terça-feira, janeiro 31, 2006

Simbiose

“Garça real”
(Acrílico sobre tela de Fátima Seehagen)
.
Simbiose*
.
nos cabelos submersos
da manhã
caminha a garça
por ventura ou
por desgraça
neles embaraça os pés
de tal modo entrelaçadas
seguem sem voos
garça e manhã
até que o sol se ponha
até que a noite se faça
e seja a manhã não-manhã
e seja inda garça a garça

*Márcia Maia*
*(poetisa brasileira, retirado daqui)

2 comentários:

Márcia disse...

Fico muito feliz de estar aqui, Eugénio. Obrigada por essa alegria.

Um beijo do Recife, aqui, do outro lado do mar.

Zohguy_Saiyajin disse...

Espetácular esse blog (((: