domingo, junho 04, 2006

Homenagem a Raul "Ouro Negro" Indipwo

"A Mãe"
(Tela de Raul Indipwo, do espólio da
F. Gulbenkian)

N’gola 1483*

N'gola 1483...
E no horizonte surgiu uma canôa gigantesca com velas brancas, que se aproxima veloz, cada vez mais, com o vento...
Era o Homem Branco que chegava; numa mão uma cruz, na outra a espada. Nos olhos, um brilho estranho de espanto, de cobiça, de triunfo. Ao som dos kissanges, marimbas e txingufos, ele desembarcou, calçando os pés com Terra Negra.
Então N'gola viu a sua terra esventrada gritar de dor e transformou-se. Viu seus filhos serem levados para outros mundos. Conheceu uma nova cultura, uma nova violência, a intolerância que se abatia sobre a sua Terra.
N'gola adormeceu um sono longo e agitado, cheia de vozes no peito, crescendo, crescendo tanto que, num alarido despertou... e a voz dizia:
- Não durmas mais... Não durmas mais...
Era Novembro e as acácias vestiam-se de garrido vermelho.
O Sol vinha a nascer com um brilho novo, sobre a Terra perfumada de Tamarindo e Jambo... uma Lindeza!

*Raul Indipwo*
*((1933-2006) uma nota pela sua mão, na contra-capa do álbum Lindeza, 1979, ed. Orfeu)

4 comentários:

Zebigleb disse...

Very nice and interresting blog !

C. Vilafanha disse...

Raul Indipwo. Um grande músico e um grande homem. Conheci pessoalmente, era uma pessoa íntegra e boa.
.
http://toxicidades.blogspot.com

Kafé Roceiro disse...

Estive por aqui e gostei, através do meu amigo, Tropa de Elite.
Convido-o a visitares minha casa e se gostares linko você lá. É só dizer!
Seria um prazer ser linkado por aqui também!
Um forte abraço,
Kafé Roceiro do Brasil.

Kafé Roceiro disse...

Já estás linkado em minha roça!