quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Assim arde a matéria

"Sem nome"
(Tela de Lorenzo Macias – exposição na galeria Geraldes da Silva)


Assim arde a matéria*

Assim arde a matéria:
tua alma ungida
por um resto de mel aquecido
no bosque do meu coração.

Eu seguro as tuas coxas
e bebo em teu rio-oiro
essa beleza azul da água
smorzando

a virilha inédita
da minha terra natal.
penetro nela como um furacão
amortecida pela seca estação.

Assim arde a matéria
na sanga quebrada da paixão
teus lábios feridos
de ternas melodias.

*José Luís Mendonça*
*(poeta angolano; poema e desenho do livro “Logarítimos da alma, poemas de aMar”)

Sem comentários: