quarta-feira, junho 06, 2007

Poesia Virgem

Mãe África
(Óleo sobre tela de
Valeiro Alberto Luís)

Poesia virgem*

Que poesia espera
A virgem negra
Guardiã de Pandora
Para colocar na ara
Dos sacrifícios
Sua mística de inocência
Seu tesouro
Único e mudo?

Que silêncio é a arte
Profana do sacerdote
Tomando as primícias?

Que silêncio este que explode
Em cada corpo impoluto?
Que vãs palavras
Vãs no perímetro da minha voz
E teu sentir
Poderão seduzir
De ouvido
O que só a magia estática
Do indizível
Pode murmurar?

Luanda, 2006

*Manuel Dionísio*
*(poeta luso-angolano; poema inédito a publicar no seu próximo livro “Palavras como resgate”)

Sem comentários: