terça-feira, outubro 30, 2007

Aspiração

"Bicicleta"
(Tela de Nadir Pessoa, daqui)

Aspiração*

Nesta flor sem fruto que aspiramos
Eu vejo coisas que ninguém descobre:
Vejo a raiz, o caule, os ramos
Vejo até o sulfato de cobre.

E vejo coisas que ninguém mais vê:
Vejo a flor a desenhar-se em fruto
E quer ela o dê ou o não dê
É esse o fim por que luto.

*Antero de Abreu*
*(poeta angolano; poema retirado da Antologia Poética Angolana I, col. Imbondeiro, 1963)

Sem comentários: