terça-feira, janeiro 01, 2008

200: Perspectivas culturais pouco animadoras à entrada do 3º ano

"A cultura em Angola"
(Imagem dos
Serviços Culturais da Embaixada de Angola, em Portugal – só não entendo porque falta a província de Cabinda… será que já se separou e não nos avisaram?)

No apontamento 200 e quando entra no seu terceiro ano de plena existência, votos que a cultura melhore em 2008 porque me parece, pelo ano que findou, que ela está um pouco discreta.
De acordo com as visitas aqui efectuadas constato que:
Se no início eram claras e quase únicas as visitas provenientes de Portugal, embora com algumas boas – em termos de quantidade – visitas do Brasil, foi manifesto que ao longo de 2007 as visitas portuguesas, ou provenientes de Portugal, diminuíram drasticamente enquanto as visitas dos brasileiros excedeu as expectativas e são, nesta altura, muito superiores às restantes. E viu-se pelas buscas que muitas das visitas brasileiras tinham uma raiz cultural enquanto as portuguesas eram mais informativas.
Registe-se que, no final de 2007 o Brasil que tinha iniciado o ano com pouco mais de 20% das visitas a este blogue terminou 2007 com 40,94% – correspondente a um total de 6654 visitas nestes dois últimos anos – à frente de Portugal que diminuiu dos cerca de 62% para 40,63% (6604 visitas totais).
Nas posições secundárias surpreende o terceiro lugar dos EUA – não esquecer que este blogue é claramente pela cultura lusófona –, com 387 visitas e 2,38%, à frente de Angola, que não ultrapassa os 370 e 2,28%, e de França com 328, correspondendo a 2,02% das visitas totais.
Além de Angola, registe-se a presença de visitas de Moçambique com 213 visitas (1,31%), Cabo Verde (26 visitas ou 0,16%), de Macau (12 ou 0,07%), da Guiné-Bissau (11 ou 0,07%) e de São Tomé e Príncipe (5 visitas ou 0,03%). Infelizmente não há registos de Timor-Leste porque já me apercebi que este país está agregado(?!?!?!?!) à Austrália (basta aceder a biscas através do “eXTReMe Tracking”).
E registe-se que, em qualquer dos três países que se seguem aos dois colossos lusófonos e da grande maioria dos cerca de 80 países – com mais de uma visita (até agora tive o privilégio de ser visitado por 98 países e 5 regiões) – o acesso ao blogue deveu-se a uma busca cultural e não política ou social ou meramente visual (não esquecer que além de contos e poemas – estes só lusófonos – há também um acervo artístico que, embora predominantemente lusófono, engloba também de outras paragens e sensibilidades).
Já agora deixo aqui os 15 países com mais visitas ao “Malambas”: Brasil, Portugal, EUA, Angola, França, Reino Unido, Moçambique, Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Canadá, Suíça, Quénia e Argentina.
Porque a cultura continua a não ser considerada, pelo menos na maioria dos Países lusófonos, como um dos principais veículos para o desenvolvimento desses Países e dos seus Povos – basta ver como Portugal está a tratar de um assunto sério como é o Acordo Ortográfico (não se discute se é bom ou não, discute-se é a não-discussão patrocinada pelos académicos e pelos sucessivos Governos) – é natural que fique incrédulo quanto ao seu pleno desenvolvimento.
Bom Ano cheio de cultura a todos os internautas e bloguistas e a todos quanto visitam este blogue.
.

2 comentários:

altohama disse...

A imagem reflecte o que deveria ser uma realidade de facto e de jure. Ou seja, Cabinda não pertence a Angola. A realidade é diferente. O petróleo justifica a força com que a potência ocupante (Angola) lá está.

Como a cultura lusófona só enche a barriga de alguns, mesmo que à custa de muitos, é natural que não vá de boa saúde. Aliás, nem sequer é novidade. É pena, mas é assim, reconheçamos, que o começa o princípio do fim da Lusofonia.

Kandandu e feliz (se possível com cultura) 2008

lusina disse...

Estudo muito interessante. A historia do acordo ortografico é engraçada para quem nao faz parte da "lusofonia"...