segunda-feira, novembro 01, 2010

Deixem-me chorar enquanto ouço Angola

(Tocadora de marimba)

(Fotografia retirada daqui)


Deixem-me chorar enquanto ouço Angola*


Deixem-me chorar baixinho

enquanto ouço Teta Lando,

deixem-me ser adulto e criança

na saudade que anda devagarinho

quando parado vou andando

nesta dor de tanta esperança.


Deixem-me chorar baixinho

enquanto ouço Elias Dia Kimuezo,

deixem-me sonhar mais um dia

olhando o horizonte mesquinho

de um sofrimento bem coeso

aliviado apenas por uma poesia.


Deixem-me chorar baixinho

enquanto ouço Carlos Lamartine

entrar numa alma despedaçada,

como se fosse um passarinho

que, como eu, também não atine

com a mangueira estilhaçada.


Deixem-me chorar baixinho

enquanto ouço Rui Mingas

nas ruas da minha memória,

esburacada pela falta de carinho

que anoitece enquanto gingas

numa saudade carente de história.


Deixem-me chorar baixinho

enquanto ouço o Paulo Flores

cantar um semba de verdade.

Deixe-me chorar bem pertinho

de todos os grandes amores

que hoje apenas são saudade.


*Orlando Castro*

*(Jornalista, poeta e contista angolano-português; poema inicialmente publicado aqui)

Sem comentários: