domingo, abril 04, 2010

Chuva

“Blenheim Oak I”

(Tela em óleo de Francis Hamel)


Chuva*


Tenha piedade

De nós

Caía com carinho

Ouça minha voz


Não destrua

O meu bairro de lata

Regue os nossos campos

Mas não mate

A nossa pura verdura


Tenha piedade de nós

Caía com carinho

Ouça a minha voz


Não deixe

A minha rua alagada

Você diz que nos ama

Mas no fundo

Não ama nada


Traga

Mais saúde

Mais Kumbú

Mais amor

Isto é o que queremos.

.

*Sandro Feijó*

*(Poeta Universal; poeta angolano, Abril 2010)