terça-feira, setembro 18, 2012

Poema

“Amendoeira em flor”
(Árvores de Portugal; foto daqui)

Poema*


Os lagos secaram

Da argila do fundo
Fundiram-se
Pétalas
Criando a flôr

Efémera

Feita de segundos

Liberta de lama
Repleta de amor.


*Alberto Estima de Oliveira*
(poeta português (1934-2008); um dos poemas do livro “Infraestruturas”, 1987)