O que é este Blogue?

Quando se junta uma amálgama de palavras, um conto ou um poema podem sempre emergir. A sua divulgação fará que não morram esconsos numa escura e funda gaveta. Daí que às minhas palavras quero juntar as de outros que desejem participar. Os meus trabalhos estão publicados sob o pseudónimo: "Lobitino Almeida N'gola". Nas fotos e pinturas cliquem nos nomes e acedam às fontes.

domingo, março 19, 2006

Poema para meu pai

Image hosting by Photobucket
"Father and child"
(Desenho retirado daqui)
.
Poema para meu pai*

Meu pai morreu longe de mim
(eu é que estava longe dele).
Tantos anos se passaram
e ainda não lhe vi a sepultura.
Continuo longe. Mas sua presença
me sacode como um choque elétrico,
uma bebida forte que me arde
por dentro.
Está vivo nos meus dedos,
nos cabelos ralos
— a nuca, dá arrepios de se ver.
Está cada vez mais perto de mim
(eu é que estou mais perto dele).

*Ivo Barroso*
*(Poeta brasileiro)

1 comentário:

Pérola disse...

Gostei muito de seu poema,e ao contrario do que muitas pessoas pensam,nao visitar a sepultura de um pai nao é falta de amor ,mais sim ,uma tentativa de mante-lo mais vivo possivel!

falo com conhecimento de causa.