sexta-feira, janeiro 30, 2009

Viagem

Sem título
(Tela de António Aly Silva, 2002;
daqui)

Viagem*

O beijo da quilha
na boca da água
me vai trocando entre céu e mar,
o azul de outro azul,
enquanto
na funda transparência
sinto a vertigem
da minha própria origem
e nem sequer sei
que olhos são os meus
e em que água
se naufraga a minha alma

Se chorasse, agora,
o mar inteiro
me entraria pelos olhos

*Mia Couto*
(Escritor moçambicano; retirado do livro”Poemas Leya” e originalmente publicado na obra “Raiz de Orvalho”)

3 comentários:

Azul Diamante* azul disse...

"o azul de outro azul,
enquanto
na funda transparência
sinto a vertigem
da minha própria origem"


Belo

Amo o azul do céu do mar e é azul a minha alma
Um abraço

Maria Muadiê disse...

Lindo.

Te-Pito-0-Te-Henua (Sill Scaroni) disse...

Que poesias maravilhosas ...
A África chorando em letras.

Saudações.
Sill