domingo, março 21, 2010

Roça

"Pico Cão Grande"

(Visto da Roça de Porto Alegre; daqui)


Roça*


A noite sangra

no mato,

ferida por uma aguda lança

de cólera.

A madrugada sangra

de outro modo:

é o sino da alvorada

que desperta o terreiro.

E o feito que começa

a destinar as tarefas

para mais um dia de trabalho.


A manhã sangra ainda:

salsas a bananeira

com um machim de prata;


capinas o mato

com um machim de raiva;

abres o coco

com um machim de esperança;

cortas o cacho de andim

corn um machim de certeza.


E à tarde regressas

a senzala;

a noite esculpe

os seus lábios frios

na tua pele

E sonhas na distância

uma vida mais livre,

que o teu gesto

há-de realizar.


*Manuela Margarido*

*(Poetisa santomenses (1925-2007); daqui)

1 comentário:

canoasdomar disse...

Olá Eugénio Costa Almeida - Vejo que tem o coração em África - Naquela linda Ilha de São Tomé, onde vivi durante 12 anos - Escalei o Pico Cão Grande, com uma equipa de corajosos santomenses - Um abraço e os meus parabéns - Pode ver o relato emhttp://www.odisseiasnosmares.com/2012/02/cao-grande-em-sao-tome-grande-escalada.html