quinta-feira, junho 22, 2006

Escada sem corrimão

“Escada”
(Uma foto-composição de
Fernando Angulo)
.
Escada sem corrimão*

É uma escada em caracol
e que não tem corrimão.
Vai a caminho do Sol
mas nunca passa do chão.

Os degraus,quanto mais altos,
mais estragados estão.
Nem sustos nem sobressaltos
servem sequer de lição.

Quem tem medo não a sobe.
Quem tem sonhos também não.
Há quem chegue a deitar fora
o lastro do coração.

Sobe-se numa corrida.
Correm-se p ’rigos em vão.
Adivinhaste: é a vida
a escada sem corrimão.

*David Mourão-Ferreira*
*(Poeta português (1927-1996), poema retirado da "Antologia Poética [1948-1983 ]",ed. Dom Quixote,1983)

2 comentários:

Anónimo disse...

Um simples e vulgar teste de português, aqui me fez chegar.
A curiosidade, essa sim, foi mais forte.
A beleza do poema, o sentimento, o toque de ternura, me fez procurar pelas vastas páginas da tão perigosa internet.
O poema esse eu sei, encontrei e adorei.
A marca no coração ficou e lágrima não demorou.
Uma adolescênte de 13 anos, que gosta de poesia aqui deixou um tão normal e vulgar comentário.

Anónimo disse...

Também tenho 13 anos, e também um teste de português me fez aqui parar. Sinceramente gostei do poema. No meu entender, fala sobre a vida.