quinta-feira, janeiro 18, 2007

Conto santomense 2 "A Lenda de Cantagalo"

"Galo I"
(Acrílico sobre tela (1980),
Aldemir Martins[1922-2006])
.
A Lenda de Cantagalo*
.
Há muitos anos, todos os galos do mundo refugiaram-se na Ilha de S. Tomé, talvez por ser uma terra lindíssima e boa para viver.
Quando o sol rompia as nuvens, de madrugada, punham-se todos a cantar anunciando um novo dia:«cocorocóco!»
A alegria imensa de estarem juntos e o facto das suas vozes funcionarem bem e em coro, levava-os a repetira cantaria a qualquer hora, esquecendo que incomodavam os outros habitantes do arquipélago.
Havia pessoas que lhes achavam graça e até gabavam aquela alegria contagiante que enchia a atmosfera de música. Mas a maior parte dos habitantes reclamava: "Isto não pode ser! Precisamos de sossego! Ninguém aguenta esta barulheira..."
Os dois grupos discutiam, uns a favor dos galos, outros contra. As conversas iam-se tornando tão azedas que por pouco não se envolviam à pancada. Então um homem sensato resolveu tomar medidas para resolver isto dizendo aos galos: «Aconselho-vos a emigrarem e se não aceitarem haverá guerra...»
Os galos, sendo bem-educados, decidiram partir e escolheram um rei que chefiasse a expedição; a escolha recaiu num enorme galo preto de quem todos gostavam porque tinha imensas qualidades. E deram voltas até encontrarem o local que queriam.
Aí ficaram para sempre; e as pessoas baptizaram o lugar com o nome de Cantagalo

*Tradicional*
*(Contos recolhidos pelos alunos santomenses do Liceu Nacional;
daqui)

Sem comentários: