segunda-feira, janeiro 08, 2007

Hosi, o Rei

"Leão do Cabo"**
(Tela de Rembrandt,
daqui)
**homenagem ao Leão da Abissínia, em clara extinção, cujas crias são mortas no próprio
Zoo de Adis-Abeba por falta de fundos

Hosi, o Rei*

Hosi,
é nome sonante
até para ti,
bicho possante.
És o senhor,
o rei
deste enorme e vasto império.
Desde a mansa gazela,
à onça ladina e feroz,
desde a cabrinha singela
à bela chita veloz,
todos te devem cega obediência;
desde o saltitão saguim
à pacaça possante,
desde o ágil kandimba ao bruto elefante,
todos te guardam muito respeito.
Até o bicho-homem,
citadino ou florestal,
ou a águia,
imponente e altaneira
rainha das alturas,
o hipopótamo fluvial,
ou o rinoceronte intrépido,
todos o temem,
ainda e quando dormir está
no seu leito real.
Porque Hosi,
morando em reserva, parque ou zoo,
mete respeito.
É sua majestade.
Diga-lo o Homem;
porque vê-lo
senti-lo
sempre aquém de um enorme caniçado.
E quando o seu grosso rugido
pela floresta soa,
todos os animais,
erectos, répteis ou altaneiros
p’ra sua mísera toca, voam.
É Hosi, o rei;
que sua esposa ou filhos,
procura desvairado
na sua enorme grei.
É Hosi, o senhor;
sedento,
esfomeado,
sua sede e fome, procura saciar.
É Hosi,
belo, majestoso,
ferido
ou vitorioso,
após lutas
umas vezes rápidas,
umas vezes insanas,
ruge vitória ou dor.
Hosi, Vossa Majestade,
quer seja negra ou castanha,
a vossa farta juba,
és,
sereis sempre,
o rei desta quadrada savana.


*Lobitino Almeida N’gola*
*(Feito no Lobito, Setembro de 1975 - publicado também aqui)

Sem comentários: