quarta-feira, dezembro 16, 2009

Água

"Sede D’ Alma"
(Tela de Naná Almeida; da exposição de artistas
angolanos em Lisboa, “Arte da Paz III”, Abril de 2009)

Água*

Água!

abriu a torneira
nem um fio

foi ao riacho
sem uma gota

abriu um poço
nem um lençol

olhou p’ro céu
além despossuído

fechou-se em si
bem desidratado

Ááááguaaaaa…
Ááááguaaaaa…aaa…aa…a…
Nesse dia o homem morreu!

*Roderick Nehone*
*(pseudónimo de Frederico Santos e Silva Cardoso; poema datado de 26.5.1983 e incluído no livro “Génese” ,galardoado, em 1996, com o prémio António Jacinto)

Sem comentários: