segunda-feira, novembro 20, 2006

conto moçambicano 3: O Baú de Joana

“Baú-Cofre”
(Peça do séc. XVII, em madeira e ferro;
Brasil)

O baú de Joana*

Jordão casou-se com Joana e no dia do casamento Joana levou para sua casa nova um grande baú, e pediu para que Jordão respeitasse a sua individualidade e nunca abrisse o baú.
Durante 50 anos de casamento, apesar da curiosidade, Jordão nunca abriu o baú.
Na comemoração dos 50 anos, Jordão não aguentou e perguntou para Joana o que tinha dentro daquele baú.
Ela então resolveu mostrar para ele o baú. Ao abrir, Jordão viu U$60.000,00 e quatro mazambana do “reino”.
Curioso, ele perguntou por que as mazambana?
E ela então confessou:
"Toda vez que te traí coloquei uma zambana no baú". Jordão, no primeiro momento ficou chocado, mas, depois de meditar, disse para si mesmo: "Até que posso perdoar... quatro mazambana em cinquenta anos, significam uma traição a cada 12,5 anos".
Então ele perguntou o que significavam os 60 mil dólares. Foi quando ela disse:
"TODA VEZ QUE O BAÚ ENCHIA DE ZAMBANA, EU VENDIA".

«Mini – GLOSSÁRIO»
(Ma)zambana: Batata em 2 Idiomas de Moçambique: xi-Ronga (xidzônga) língua original do grande caMpfumo / maPutso (circa 1400 /1500 d.C) –, zambana (singular) = batata "europeia"; prefixo MA para o plural; em emakhuwa padrão de Muhipiti / Nampula: batata
Mazambana do "reino": batatas "europeias"
.
*João Craveirinha*
*(Poeta, contista e artista plástico moçambicano; Um dos textos do livro “Rir faz bem à saúde” a editar brevemente)

1 comentário:

Martha disse...

Adorei!
rsrsrsrs