quarta-feira, outubro 04, 2006

nº. 100: Poema

"sem título"
(Tela de
Eleutério Sanches)
.
Poema*
(a minha homenagem a um Homem de Angola, Belli Bello)

…Quando souberes que a minha hora chegou
não deves chorar
e nem sequer os braços cruzar
Quem chora
Quem cruza
Consente
E nós não devemos consentir!

*Cao Belo*
*(Um dos dois heterónimos do embaixador Carlos Alberto O. Belo “Belli-Bello”; poema publicado, em Luanda, em 1959 na colectânea poética, “Força Nova”)

2 comentários:

Maria Muadié disse...

Lobitino, Eugénio, nem sei como te chamar...
Achei seu blog ao acaso, passeando pela net. Mas achei-o muito belo, com certeza voltarei sempre para saboreá-lo.
Sou de Salvador, Bahia, Brasil, e tenho interesse pela literatura africana dos países de língua portuguesa.
Muito bacana os seus blogs.
E malambas como pode ser traduzido?
Um abraço,
Martha

Zohguy_Saiyajin disse...

É sempre um prazer acessar este blog com belos textos e imagens!